Histórico

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina (IFSC) foi criado em Florianópolis por meio do Decreto nº 7.566, de 23 de setembro de 1909, como Escola de Aprendizes Artífices de Santa Catarina. Seu objetivo era e ainda é proporcionar formação profissional aos filhos de classes socioeconômicas menos favorecidas. Atualmente, o IFSC possui 21 campi espalhados por todo o Estado de Santa Catarina; o Câmpus Florianópolis possui seis Departamentos Acadêmicos e oferta mais de 30 cursos em diferentes modalidades e níveis; são mais de 8.000 discentes.

O Departamento Acadêmico de Eletrotécnica (DAE) possui mais de 40 anos. Historicamente, teve como oferta principal o curso Técnico em Eletrotécnica. Trata-se de um curso de excelência, com credibilidade junto às empresas do setor, conquistada ao longo dos anos. Na década de 2000, criou-se o Curso Superior de Tecnologia em Sistemas de Energia. Esse curso tem seu foco no recente Mercado de Energia implantado no Brasil com a reestruturação do Setor Elétrico Brasileiro. É um curso relevante e que tem apresentado aceitação nas empresas do setor, embora ainda haja desconhecimento ou uma cultura desfavorável aos cursos de tecnologia no Brasil. Mais recentemente, o Departamento Acadêmico de Eletrotécnica, aliado à demanda de mercado crescente por engenheiros eletricistas, criou o curso de graduação em Engenharia Elétrica com ênfase em Eletrotécnica. Na inserção do curso de Mestrado Profissional Stricto Sensu em Sistemas de Energia Elétrica (10 discentes por ano), o Departamento Acadêmico de Eletrotécnica possuirá no mínimo 1.192 discentes, com a seguinte oferta semestral: Técnico Integrado (54 discentes), Técnico Subsequente (36 discentes), CST em Sistemas de Energia (32 discentes), Engenharia Elétrica (40 discentes); oferta anual: Mestrado Profissional (10 discentes); e, Cursos Formação Inicial Continuada (FIC) conforme disponibilidade.

A presente proposta de Mestrado Profissional é fruto de um planejamento estratégico de mais de dois anos. O planejamento abordou a elaboração de três documentos principais: o ‘Projeto Pedagógico do Curso de Mestrado Profissional Stricto Sensu em Sistemas de Energia Elétrica’, que aborda a concepção do curso, sua estrutura curricular, ementas, estrutura física e docente, e planejamento pedagógico do curso; o ‘Plano de Implantação e Desenvolvimento de Curso’ – PIDC, que apresenta o planejamento necessário para a implantação do curso de Mestrado Profissional Stricto Sensu e o seu desenvolvimento ao longo dos anos; e, por fim, o ‘Regulamento do Programa de Pós- Graduação de Engenharia Elétrica’.

Todos os documentos foram amplamente debatidos pelos docentes do Departamento Acadêmico de Eletrotécnica. Ainda, foram realizadas consultas às empresas parceiras para buscar a correta orientação por parte do setor produtivo. Houve também debate e aprovação no Colegiado do Câmpus Florianópolis e no Colegiado de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) do IFSC. Estes órgãos gestores aprovaram a presente proposta, gerando a autorização para a sua submissão.